Cultura Organizacional

Você está aqui:
< Tópicos

O que é cultura organizacional?

Cultura organizacional é o conjunto de valores, pressupostos básicos, artefatos e comportamentos que suportam a tomada de decisões dentro de uma empresa. A cultura organizacional o modo como a companhia funciona e manifesta as principais crenças sobre os processos e ambientes de trabalho.

A cultura organizacional é uma adaptação da cultura global de forma a valorizar mais os comportamentos considerados funcionais dentro da empresa e valorizar menos os comportamentos que não parecem conduzir a resultados mais efetivos.

Por isso, a cultura organizacional é um importante fator de diferenciação da empresa frente ao mercado como um todo, e está diretamente relacionada à estratégia do negócio e à maneira como a organização gere e desenvolve seu capital organizacional.

Por que existem culturas organizacionais?

Culturas são adaptações evolutivas a fim de criar padrões de comportamento que garantam a coesão do grupo. Dessa forma, pode-se entender que a formação de uma cultura organizacional é natural, uma vez que as organizações surgem a partir de um propósito a ser compartilhado e atingido por todas as pessoas dentro dela.

Por essa razão, a existência de uma cultura própria dentro das organizações estabelece um alinhamento de crenças e práticas mais funcionais para garantir o posicionamento estratégico da organização no mercado.

Nas empresas, os padrões de comportamento que caracterizam a cultura organizacional, de maneira geral, são instituídos a partir das crenças dos fundadores, dos comportamentos que acreditam ser mais funcionais dentro da estratégia organizacional. Posteriormente, esses valores passam a ser difundidos e perpetuados pelos exemplos da liderança.

Isso significa que a cultura organizacional é mutável ao longo do tempo e que os principais agentes de mudanças de cultura são os líderes formais ou informais, em outras palavras: os gestores, por meio do modo com que tomam decisões, e as pessoas influentes dentro das equipes, por meio dos comportamentos que manifestam diante dos colegas e clientes.

Qual a importância da cultura organizacional?

A cultura organizacional desempenha papel fundamental na manutenção da coesão interna e externa da empresa.

A coesão interna diz respeito à harmonia entre áreas e equipes, de forma a mantê-las alinhadas em direção a um propósito e objetivo organizacional em comum. É necessário que exista coesão entre as partes, uma vez que grupos mais coesos mostram ter mais foco e entregar mais resultados.

É desejável que haja algum grau de concordância no modo como se tomam decisões e como se organizam os processos. Processos descentralizados, sem padrões e diretrizes de realização definidos tendem a criar conflitos internos e dificultar o fluxo de informações e resultados.

A falta de coesão interna também costuma se manifestar na falta de coesão externa. A percepção que os clientes têm de uma organização é fortemente determinada pelos comportamentos manifestos pelas pessoas com quem interagem.

Caso a cultura organizacional não seja forte o suficiente, essa percepção ficará a critério quase que exclusivamente dessa interação; se o cliente interagir com duas ou mais pessoas diferentes, terá a percepção de que a organização não tem consistência e que seus processos são arbitrários.

Por essa razão, a cultura organizacional é essencial para o posicionamento estratégico da empresa no mercado. As crenças e comportamentos valorizados internamente são reconhecidos na forma como a organização se diferencia no mercado.

Quanto mais forte a cultura, mais fácil será para se definir a percepção que o mercado terá do negócio; quanto mais fraca, mais difícil será realizar essa definição e maior a probabilidade de essa percepção se definir de maneira aleatória.

Como mapear uma cultura organizacional?

O estudo de cultura organizacional é uma área complexa. Para se entender uma cultura, existem duas principais abordagens: antropológica e positivista.

A abordagem antropológica é uma abordagem de observação direta dos comportamentos manifestos na cultura. Isso significa acompanhar reuniões, realizar entrevistas, observar a qualidade, frequência e intensidade das interações no ambiente de trabalho. Trata-se, em última instância, de uma análise qualitativa da cultura organizacional.

Já a abordagem positivista é uma abordagem de observação que se propõe objetiva, por meio de assessments de cultura, e que visa a mensurar determinados critérios pré-definidos das interações humanas nas organizações, gerando análises de caráter mais quantitativo.

A título de exemplo, pode-se mencionar que são possíveis estudos antropológicos qualitativos, em que se busca entender a história da empresa e de a sua evolução; estudos via testes, buscando captar a percepção de todos de forma quantitativa, e o estudo do perfil dos principais líderes e dos formadores de cultura.

Ambas as abordagens apresentam suas vantagens e desvantagens e, idealmente, podem se completar. A abordagem antropológica possibilita que se captem nuances dos comportamentos nas organizações, porém é mais custosa em termos de recursos humanos, financeiros, temporais, etc. Por outro lado, a abordagem positivista, embora perca nuances, possibilita uma análise estatística mais acurada dos dados e replicabilidade do método.

Existem vários fatores que podem demarcar uma cultura. É importante identificar sempre os mais destacados. A partir desses atributos destacados, buscam-se entender os valores correspondentes a eles, e, a partir disso, buscar congruência com os candidatos dos processos seletivos. O uso de ferramentas de fit cultural podem ajudar substancialmente nesse processo.

Além disso, existem graus de força de cultura. Culturas mais fortes são mais homogêneas, enquanto as mais fracas são mais heterogêneas. Evidências apontam que culturas mais fortes geram uma força maior de capital humano.

Uma cultura organizacional bem definida gera como principal efeito a fácil identificação dos funcionários das empresas a partir da manifestação dos padrões de crenças e comportamento na relação com os stakeholders.

Cultura corporativa para o líder

Fator G(ente) – Cultura Organizacional

Sumário