Os 7 pilares do Bem-estar e sua importância

 

Você já parou para pensar em como está se sentindo hoje? Esse é o primeiro passo para entender o que é bem-estar. A definição geral do termo é: “A totalidade de experiências emocionais e avaliações subjetivas a respeito das circunstâncias de trabalho e vida de uma pessoa“.

O bem-estar no local de trabalho se relaciona em muitos aspectos, desde a qualidade e segurança do ambiente físico até como cada indivíduo se sente em relação as suas próprias funções.

O trabalho é um aspecto fundamental da vida, onde as pessoas passam grande parte de seu tempo, e possui um papel significativo no bem-estar e satisfação geral, fomentando experiências positivas ou negativas no decorrer da vida.

A preocupação de uma organização com o bem-estar de seus funcionários é fundamental e resulta em ganhos no nível pessoal e financeiro, afinal, pessoas felizes são mais produtivas.

De acordo com um estudo publicado pela Forbes, o bem-estar corporativo vem se tornando uma das maiores prioridades para líderes de gestão de pessoas. Nos EUA, este mercado está estimado em U$ 20,4 bilhões em 2021 e com previsão de crescimento para U$ 87,4 bilhões até 2026.

Os 7 pilares e o equilíbrio

Quando falamos sobre o equilíbrio entre o físico, o mental e o psicológico, estamos avaliando a percepção do indivíduo sobre diversos temas de sua vida. Temas que se expandem por diversas direções com diferentes prioridades ao passar dos anos.

Aqui, nós seguimos a definição da Forbes sobre os 7 principais pilares. Servindo como parâmetro sobre o que líderes devem priorizar ao abordarem questões relacionadas ao bem-estar e o autocuidado dentro de suas organizações:

Físico: Está relacionado ao estilo de vida dos colaboradores. Por exemplo, como anda sua alimentação, seu sono e a prática de exercícios físicos. Na estrutura física do trabalho, envolve a qualidade do ar, iluminação, ventilação, temperatura, acústica e opções de alimentação.

Carreira: Está relacionado ao equilíbrio entre vida pessoal e trabalho, como as oportunidades que os funcionários recebem, se eles conseguem se desenvolver, crescer e determinar objetivos a longo prazo a partir de sua posição atual.

Financeiro: Relacionado diretamente a saúde financeira dos funcionários. Segundo a 2021 PwC Employee Financial Well-Being Survey 2021, pesquisa anual da empresa de auditória PwC sobre a saúde financeira, os problemas financeiros são a maior causa de estresse no trabalho, problemas de saúde e de relacionamentos entre os funcionários.

Social: Relacionado a saúde social dos colaboradores. Ter boas amizades, não só no trabalho, como na vida pessoal é algo determinante na felicidade a longo prazo. Criar comunidades no trabalho ou grupos de interesses pessoais, é uma forma de aumentar sentimentos de pertencimento.

Segundo Jen Fisher, coautora do livro “Work Better Together”, no nível profissional esse pilar se relaciona com níveis de absenteísmo, presenteísmo, qualidade do trabalho e comprometimento com a organização.

Comunidade: Relacionado a como os colaboradores estão engajados com suas comunidades locais. Investir em programas e oportunidades para se envolverem com essas comunidades é um ótimo jeito de engajar profissionais e diminuir o turnover dentro da empresa, ao mesmo tempo que demonstra uma preocupação social e possibilita oportunidades de apoio a comunidade.

Emocional: Relacionado a saúde emocional dos colaboradores, é um pilar muito importante, considerando que possui grandes efeitos na performance individual e consequentemente da organização como um todo. A pesquisa da “Stress in America 2021” da American Psychological Association (APA), foi divulgada em outubro deste ano e indicou que as pessoas estão tendo o maior nível de estresse desde o início da pandemia, em conjunto com um grande aumento nos níveis de ansiedade. O que torna a preocupação com a saúde emocional dos funcionários ainda mais importante.

Propósito: Por final, este pilar está relacionado ao alinhamento de propósito entre o indivíduo e a organização. Segundo a “2021 Global Human Capital Trends”, pesquisa sobre as ”Tendências Globais de Capital Humano de 2021” da Deloitte, foi constatado que 44% de Millennials e 49% de jovens da Geração Z escolhem e estão dispostos a trabalhar em empresas que possuem um fit com seus próprios valores. Na organização, isso se traduz em engajamento de forma geral.

Bem-estar dos funcionários é a prioridade do momento.

De acordo com o 2021 HR Sentiment Survey, o e-book da Future Workplace sobre o panorama do RH em 2021, 68% dos líderes de gestão de pessoas classificaram o bem-estar dos funcionários e sua saúde mental como a maior prioridade no momento.

E o ponto focal mais uma vez é a flexibilização no ambiente de trabalho. No mesmo e-book, foi divulgado que 70% das organizações participantes no estudo já estão oferecendo algum tipo de flexibilização. Seja no local ou no tempo de trabalho.

As pessoas querem a flexibilização, e é fundamental desenvolver essa cultura dentro da empresa em 2021. Entender com métricas como sua equipe funciona é um facilitador incrível no engajamento e comunicação interna.

Incentivar que todos participem da Pesquisa de Clima e tenham liberdade para conversar e expor questões e problemas pessoais é o caminho que recomendamos para promover o bem-estar e autocuidado.

Por