Sete tendências na gestão de pessoas para 2022

 

Em 2021 tivemos mudanças significativas no modelo de trabalho. A maioria das organizações e pessoas se acostumaram com o modelo remoto e começaram a transição para um modelo mais híbrido e flexível no final do ano.

Com 2022 começando, nós preparamos sete das principais tendências em gestão de pessoas para você estar preparado e ter maior atenção com alguns detalhes importantes.

01- Modelo de trabalho flexível e híbrido

Vamos começar falando justamente sobre o modelo de trabalho híbrido e flexível. Desde o ano passado essa é uma discussão primordial na área de gestão de pessoas.

No Microsoft 2021 Work Trend Index, o “Manual de tendência de trabalho anual da Microsoft”, 73% dos entrevistados já diziam querer opções mais flexíveis de trabalho remoto.

Porém, 67% dizia querer retornar ao trabalho presencial. Com as lideranças se movimentando para reformar e remodelar escritórios e com a vacinação contra a Covid-19 passando dos 67% da população completamente vacinada, temos o modelo híbrido como a maior tendência para 2022.

Preparar um ambiente de trabalho para receber os funcionários vai fazer toda a diferença na captação de talentos e bem-estar da equipe nessa transição de modelo.

02- Saúde, bem-estar e estresse

Falando em bem-estar, essa é outra forte tendência para 2022. Em um estudo publicado pela Forbes, o bem-estar corporativo foi posicionado como uma das maiores prioridades para líderes de gestão de pessoas.

Nos EUA, este mercado foi estimado em U$ 20,4 bilhões em 2021 e com previsão de crescimento para U$ 87,4 bilhões anuais até 2026.

Entender como a equipe está se sentindo e promover espaços abertos para o diálogo já são passos importantes. Entender de maneira mais profunda o bem-estar e a saúde da equipe com maior profundidade teórica não é tarefa fácil.

Cada indivíduo lida com situações, como a volta a escritório, de maneira particular. Algumas medidas mais difundidas como limitar horas de trabalho são suficientes.

Além de tempo, a pressão e sobrecarga de trabalho podem ser muito mais agressivas a saúde. Entregar mais e ganhar mais é a lógica do mercado atualmente. O desafio está em encontrar o equilíbrio entre entregar demais ou entregar pouco.

03- Estratégias de mensuração e avanço da diversidade e inclusão

Todo o esforço tecnológico deve ter como foco o avanço da inclusão e diversidade nas empresas. Porém, não basta apenas entender a porcentagem de minorias que compõem o time.

É necessário entender as questões sociais e desenvolver ferramentas para ter uma equipe diversa e inclusiva. Desenvolver uma cultura inclusiva é o que vai oferecer condições para todos mostrarem e desenvolverem seu potencial.

Reconhecer as diferenças, dar abertura e entender o que o time tem em comum é essencial para conseguirmos um espaço democrático e inclusivo para todos.

04- Digitalização e analytics

Ferramentas digitais para mensurar e utilizar dados, de forma aplicada, na área de gente vêm ganhando muito espaço nos últimos anos e é outra tendência para 2022.

Apesar dessa realidade, muitas empresas estão tendo dificuldade com essa mudança. Faltam profissionais de dados na área de gente e não podemos esquecer que o capital humano sempre será muito importante, afinal estamos falando de pessoas.

Então um dos maiores desafios para uma organização se posicionar de maneira forte contra a concorrência será em encontrar as pessoas e ferramentas certas.

05- Aumento do turnover em todo o mundo

As taxas de turnover sempre foram altas no Brasil. Mas em todo o mundo a força de trabalho está trocando cada vez mais de emprego.

As pessoas não ficam tanto tempo no emprego como antigamente e constroem um plano de carreira de forma individual, e não mais pensando apenas no emprego atual.

Aplicar pesquisas de clima de maneira trimestral é uma das práticas que ajudam a entender a realidade de cada um e reter mais talentos dentro da organização.

06- Integração vida e trabalho

Com a pandemia e o modelo de trabalho remoto, as pessoas pararam de dar atenção para aquele conceito atrasado de “profissionalismo” onde se veste uma máscara para ser outra pessoa no ambiente de trabalho.

A lógica agora muda para a integração da vida pessoal com o trabalho. Ao invés de ser uma questão isolada da vida, o trabalho passa a fazer parte do dia a dia de maneira em que todos podem se expressar mais no ambiente de trabalho.

Essa é uma mudança muito positiva que afeta tanto aqueles que tem maior dificuldade em se posicionar em questões mais delicadas, quanto auxilia aqueles que tomam decisões a entender mais a realidade de cada um.

07- Construir culturas adaptáveis e ágeis

A cultura organizacional é parte fundamental para manter um ambiente de trabalho saudável e que evolua a partir interações e relações positivas entre a equipe.

Uma cultura bem estruturada aumenta a retenção e atração de talentos, e o capital humano, como já falamos anteriormente, terá um papel determinante no posicionamento das organizações no mercado.

A cultura é outro ponto recorrente de atenção para os líderes de gestão de pessoas nos últimos anos e em 2022 ela vai ocupar um espaço ainda mais importante no planejamento.

Por