Engajamento e satisfação: Entenda a diferença dentro da equipe

 

Funcionários que se dediquem ao projeto da empresa e assumam a responsabilidade não são fáceis de encontrar, por isso o engajamento é um grande diferencial a ser alcançado dentro da sua organização.

Uma equipe engajada consegue melhores resultados e promove a inovação do seu modelo de negócio. Cuidados com o bem-estar e um processo de recrutamento são parte das práticas para encontrar pessoas que encaixem na sua cultura.

Diferença entre engajamento e satisfação

A gestão de pessoas quebra a cabeça para diferençar esses dois indicadores. Apesar de serem termos que caminham juntos, existe uma diferença prática e muito importante entre eles.

O engajamento vai além da satisfação. Um funcionário engajado promove os valores da empresa e veste a camisa para alcançar os objetivos estipulados. O grande diferencial é a conexão individual com os valores e políticas internas.

Em empresas mais horizontais, o engajamento é mais fácil de ser identificado. Existem funcionários que vão além do que é proposto inicialmente e se destacam em solucionar problemas com soluções novas.

Já a satisfação é um conceito temporário. Um funcionário que cumpre bem a sua função e entrega bons resultados deve estar mais satisfeito com sua função e posição do que aquele com tendência ao desligamento.

Desenvolvendo o engajamento

Desenvolver o ambiente é primordial para ter funcionários engajados e satisfeitos. A remuneração é a base de tudo, quem está com problemas para pagar as contas dificilmente vai estar satisfeito.

Segundo a The Investment Association (the IA), ter transparência na remuneração é uma das tendências para 2022. Fazer toda a equipe entender que o seu pagamento é justo, o que é fixo e o que é variável vai ter um papel muito importante no bem-estar no ambiente de trabalho.

A volta ao espaço físico é um desafio muito grande para o RH. Preparar o escritório e lidar com as mudanças individuais que ocorreram no período de isolamento não será fácil.

Cada pessoa lida com novos processos e convivências de maneira diferente. Muitos estão no cargo por apenas alguns meses e não tiveram muito contato com seus pares, enquanto outros mantém relações de anos.

A cultura organizacional vai ser testada e evoluída neste novo momento. Deixar claro os valores e práticas para quem está entrando é responsabilidade das lideranças.

Se a sua organização não conta com uma cultura bem estruturada e é hora de focar nesse ponto antes de pensar em novas soluções para desenvolver o engajamento dentro da equipe.

Papel da liderança no engajamento

Como já citado anteriormente, a transparência tem grande papel nas mudanças que ocorrerão na gestão de pessoas nos próximos anos.

Servir como exemplo e propagar as práticas da cultura interna são passos iniciais muito importantes.

As pessoas querem se sentir bem no ambiente de trabalho. Criar laços mais profundos é um dos indicadores do engajamento individual.

Reconhecer as conquistas, boas práticas e resultados dos funcionários, além de conseguir devolver um bom feedback cria uma relação mais próxima com todos.

O funcionário que não é recompensado ao se destacar não vai se manter motivado por muito tempo. A retenção de talentos no período de trabalho remoto ou híbrido é ainda mais complicada.

Muitos podem trabalhar a distância e procurar novas oportunidades mais rentáveis que combinem com seu momento de vida.

O capital humano é crucial para o desenvolvimento da organização. Cada vez mais inserir as pessoas nas decisões que estão sendo tomadas e resultados financeiros, transmite a ideia de que todos são parte importante do negócio.

Nós estamos preparando a gestão de pessoas para o futuro. A inteligência artificial é capaz de identificar padrões positivos e negativos do time para entender como promover o engajamento e prever o turnover de talentos.

Participe desta nova forma e entender o RH você também!

Por